Café por Acaso

Já nos esquecemos, mas no nosso primeiro In Dialogo, podia ser um café, como este nosso agora, tínhamos a mesma sequência de cena, personagens no seu mundo, um desenho de luz com a mesma base, mas sobretudo porque era o primeiro. Mas nós não tínhamos diálogos, nem qualquer relação de contacto com o outro personagem e o seu espaço, não havia qualquer narrativa nem construção de personagem com um antes e um depois. O desafio dramático deles é bem mais difícil do que o nosso, têm personagens difíceis por estarem fora das suas realidades, uma estrutura narrativa complexa, dezenas de marcações, inúmeras preocupações técnicas, sobretudo de dicção… e têm diálogo…

E não é porque nós não tínhamos um cartaz, uma luz a sério, um ensaio geral, mesmo geral, ou porque tínhamos um actor que se arranjou no jantar, um diaporama feito na tarde já á tardinha que o nosso espectáculo é menor, porque estas coisas são pormenores, mas pelo desafio dramático que eles têm nas mãos com as suas idades, porque em cena dependem apenas deles em última circunstância!

É uma oportunidade para eles e como eles são o futuro, também é uma oportunidade para o grupo…

5 comentários:

Iana disse...

O que eu encontrei :')

Está a ser, sem dúvida, um desafio.

Obrigada por tudo.

Beijo

joana disse...

voces têm sido espectaculares connosco, obrigada pela paciencia e dedicaçao k nos têm dado!

Estou a adorar a experiencia!

Beijos grandes***

ines disse...

Sem palavras!!

Simplesmente um grande obrigada!
Beijo*

Leão disse...

Muito bem!

Nada mais se poderá dizer sobre aquela primeira aparição dos Cães;)De facto os cachorros enfrentam este desafio com verdadeiros dentes aguçados: mordem com genuidade, dão o suor ao palco, aos outros que estão nele com eles...
Temos de continuar, continuar, continuar!

Luis Leao disse...

Simplesmente brutal!

Um grande obrigado a todo o grupo dos Cães à Solta por nos proporcionarem uma experiencia como esta! Thanks