Indo

- Tenho vontade.
- de quê?
- de ter vontade.
- ou menos tens alguma coisa.
- e tu que tens?
- hei-de ter alguma coisa, além de estar aqui.
- Não te chega estar aqui?
- A ti chega?

( excerto da peça Indo)

Partir do espaço como pressuposto para a possibilidade de movimento. Mover-nos para quê? Há alguém para se ir ter?

8 comentários:

R2K disse...

: )

Anil disse...

Há já algum tempo que me apetece dizer-vos isto, e espero que o entendam como um contributo para melhorar a qualidade do site, cuidado com o português que usam! São pequenos erros, quase imperceptíveis mas que estão lá. As confusões com os "á" e os "há"; o "tem a ver com" confundido com o"tem a haver com", que não é nada; o "ou menos" em vez do "ao menos",...desculpem qualquer coisinha mas eu gosto muito de vocês.

esteves disse...

Obrigado anil pelo contributo, vamos passar a estar mais atentos. E não tens de pedir desculpas, as criticas são para isto mesmo...tentar melhor...

Anónimo disse...

a vontade é só o impulso, não é o caminho. se a propota é trabalhar sobre a vontade, então não vão chegar a lado algum. supender, é o que vai acontecer. continuar, partindo da vontade, indo, de nada e tudo com nada e tudo.
OUÇAM: posso trabalhar convosco?_ pergunto eu, maria

Anónimo disse...

(RETIFICANDO)a vontade é só o impulso, não é o caminho. se a propoSta é trabalhar sobre a vontade, então não vão chegar a lado algum. suSpender, é o que vai acontecer. continuar, partindo da vontade, indo, de nada e tudo com nada e tudo.
OUÇAM(p'la 2ªvez): posso trabalhar convosco?_ pergunto eu, maria

esteves disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Ola Maria. Tens mail?

Anónimo disse...

Olá.
estreuinha@iol.pt_ responde a Maria.